Nada de artista por aqui hoje. Aliás, uma homenagem a uma artista, a artista que mais amo.

Esse é um livro que ela me deu em 1999, crucial pra me ajudar a enfrentar o que temia. Hoje, 11 anos depois, os medos são outros, mas a mensagem é a mesma. A menina dos cabelos cacheados está mais corajosa do que nunca e continua admirando a mãe com olhos infantis. É só um oceaninho de nada que nos separa, mamele. Te amo!